Sobre política, políticos e critérios de elegibilidade

Recentemente notei que os critérios do judiciário não devem ser todos adotados na avaliação do legislativo e sua composição.

Juízes não são eleitos em sua maioria. Temos como exceção os ministros do STF, por exemplo, que são eleitos após sabatina do Senado Federal. A grande maioria é concursada. Sérgio Moro certamente fez concurso público para ser juiz federal.

Os ocupantes de cargo político do legislativo são todos eleitos, sem exceção.

Existem bem mais diferenças do que estas entre um politico e um juiz, mas não quero focar nisto e sim focar em como avaliamos um político para ver se ele merece ou não ocupar cargo eletivo. Antes eu pensava muito parecido com a lei da ficha limpa: foi condenado, não pode se eleger. Tudo bem, precisa de condenação de segunda instância que é uma forma de evitar uma possível perseguição política, dada a decisão monocrática de um juiz de primeira instância, mas a base é esta: foi condenado, não pode se eleger.

Isto está correto, mas hoje, acho que esta nivelação está muito por baixo.

Explico.

Ser condenado já é muito para uma pessoa que recebe um cheque em branco nosso para poder mudar nossas vidas. Político não dever ser só honesto. Deve demonstrar ser honesto e sobre ele ou ela não devem pairar quaisquer tipos de suspeita. Esta sim, deve ser uma régua de medição de político. Foi citado em processo penal, não deveria nem se candidatar. Se o fizer, que a sociedade não o aceite. Não se trata aqui de uma condenação prévia de uma pessoa, pois quem condena é o judiciário a seu tempo. Lá no judiciário é que todos somos inocentes antes de sermos julgados. Na política não dá mais para seguirmos assim.

Qual seria o risco e consequências então de condenarmos politicamente um candidato de forma errada? Vamos por um exemplo: suponha de José Jaca resolva se candidatar. João Mamão, inimigo político de José suja o seu nome o citando na operação Quibe Podre da PF. Assim, pela régua política, José Jaca não deveria ser eleito e João Mamão poderia, inicialmente. José denuncia então João por difamá-lo. Depois, descobre-se que José Jaca nada de errado fez e João Mamão o citou como forma antiética. Desta forma, originalmente nem José nem João passariam pela régua política e os 2 estariam fora. José voltaria a ser elegível pela sociedade depois de limpar seu nome. Prejuízo? Perdemos a oportunidade de eleger José por algum tempo, mas nos prevenimos de João. Eu acho melhor perder um possível inocente por um período de tempo do que correr o risco de colocar um desonesto no poder. Dentro do poder ele ganha mais poder para fazer coisas erradas (dinheiro, acesso a cargos, tempo de tv, exposição, etc.).

Estamos em um ponto que não dá mais para elegermos pessoas mais ou menos. Não dá mais para eleger o rouba mas faz. Não dá mais para eleger o articulador antiético. Não dá mais para eleger ladrão, assassino e estuprador de cidadãos.

Todo dia somos estuprados quando um deputado vai ao cinema, compra pipoca com o nosso dinheiro e acha que tá tudo bem. Quando leva o cachorro pro veterinário em carro oficial, quando rouba merenda de escola, quando desvia dinheiro de vacina, quando abusa de poder e usa jatos (para que temos jatos?!?) para transporte particular.

República vem de Res Pública, a coisa pública. Chega de sermos assaltados todos os dias em algo que é nosso por poucos que foram eleitos justamente para fiscalizar o uso disto.

Enquanto não temos uma reforma política que seja no mínimo decente, façamos a nossa parte e evitemos a todo custo colocar qualquer político, não importa o partido, que possua sequer uma suspeita que paira sobre ele ou ela.

Veja a Dilma: até semana passada, quando foi revelada a suspeita de uso de dinheiro público para pagar o seu cabeleireiro, ela bradava aos 4 ventos que não existia uma Elba para falarem dela. Achamos a Elba. Talvez achamos a Elba x 5 em termos de verba pública para a Dilma. Honestamente: você compraria um carro usado da Dilma?

Eu, não.

Advertisements

One Comment Add yours

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s